ARQUITETURA | DC151 | Apartamento | São Paulo, 2017-18

Quando a gente faz uma planta arquitetônica de reforma, indica em tracejado vermelho as paredes a demolir. Usássemos um pontilhado e nosso desenho para este amplo apartamento pareceria uma catapora. Demolindo, desvelamos alguns tesouros escondidos: pilares, porta de entrada, lavabo. Pilares agora em concreto aparente, signos das subtrações realizadas. O volume do lavabo envelopado em lambris verdes, índice do verde colonial da porta de entrada em serralheria artística, agora em evidência, reminiscência do casarão de Higienópolis demolido para dar lugar ao prédio, que a pedido dos antigos proprietários do lote, teria sido reaproveitada num dos andares destinados originalmente aos familiares. Os antigos pisos de madeira recuperados, placas de concreto nas cicatrizes (hall, copa e áreas de serviço). Um solário movimentando o piso da sala enorme, jardim solar. Estúdio de música, com piso, porta e janela acústicas. Banheiros generosos revestidos em pedra. Nossa indicação de mobiliário e luminárias complementares ao belo acervo da família. E por fim o desenho de novas bancadas, armários e guarda-roupas, além da cama e da escrivaninha Tom sur tom para o filho adolescente, da estante Fianco e da mesa Dupla-face, para o escritório dos pais.

FacebookTwitterEmail
DC151 | 2018 | ARQUITETURA